Maternidade

TERRIBLE TWO´S: A terrível crise dos 2 anos. Por Marcelo Fernandes

OIE!! Chloe anda nessa adolescência infantil há tempo e já falei algumas vezes no IG e fanpage sobre isso,mas nunca parei para escrever sobre o assunto por aqui. Pois hoje que conta sua experiência sobre o assunto é o Marcelo do papai on line.

“Estamos vivendo esta fase em casa! Hoje o Fefê está com 2 anos e 4 meses e 315(1)descobrimos, graças a Deus, que é comum e trata-se de uma fase em que a criança descobre que é um indivíduo e luta para conquistar o seu espaço. E fazem da maneira que mais nos incomodam: batendo nos outros, gritando ou se jogando no chão. Precisamos ter muita calma, paciência e ensinar que este comportamento não é legal e não levará a nada. Não adianta também darmos palmadas, tapas, puxões de orelha ou qualquer comportamento agressivo para tentar conter a birra. A melhor maneira é conversar.

Desde que o Fefê tinha 1 ano e 8 meses, começamos a enfrentar a fase Terrible Two´s e aos 2 anos e 1 mês estava bem complicado. Digamos que foi o momento mais difícil de lidar com esta situação, pois ele aprendeu a cuspir (comportamento adquirido na creche).

Usamos e continuamos a usar o método ´´cantinho da disciplina“, sempre que acontece algo que deixa o Fefê agressivo ou com um mal comportamento, abaixamos na altura dele, olhamos em seus olhos e repreendemos. Em seguida o colocamos na cadeirinha (foto acima) para ele pensar no que fez, pois não foi legal e estamos tristes.

Foi uma fase complicada e com muito tempo para ele pensar! Ao repreendermos, ele respondia com o cuspir, hoje depois de freqüentar muito seu “cantinho da disciplina´´ e chamadas de atenção, conseguimos vencer.

Foi com muita repetição para ele assimilar que, aquele comportamento era errado e como resultado ficaria no seu cantinho para pensar no que tinha feito.

Hoje, ele entende o significado do ´´cantinho da disciplina´´ e ao começar a fazer algo de errado, perguntamos se ele quer ir pensar. Ele imediatamente diz não (espertinho ele não? kkkk) , muda de comportamento rapidinho e pede.

Após alguns minutos, voltamos e conversamos, ele pede desculpas e nos dá um beijo. Nossa estratégia vem funcionando bem! Claro que leva alguns minutos e neste tempo, temos que ter muita calma e sabedoria, pois a criança precisa entender que não é do jeito dela e que está tendo uma atitude errada.

É papais, não é fácil educar, mas é preciso persistir e não deixar as birras tomarem conta da situação! Temos o dever e direito de impor limites desde muito cedo. Educar não é fácil,
mas é prazeroso quando constatamos com atitudes que nosso filho entendeu que não estava agindo da maneira ideal e passa a ter novos hábitos.

Mais alguém aqui passando por esta fase?

Marcelo Fernandes”

 

Previous Post Next Post

Você pode também gostar...

2 Comentários

  • Responder Rafaela 21 de agosto de 2015 at 11:52 pm

    Ótimo! Essa conduta de vocês é a perdeita e funciona sim! O meu mais velho (3a10m) fica de castigo desde antes dessa fase e ficou pouquissimo tempo nela. Msm quando demora a dar resultado os pais não podem desistir pois é a melhor forma! Eu particularmente só faço uma humilde sugestão. Aqui em casa usamos a palavra castigo msm. Por um simples motivo: associar o pensar a uma coisa ruim, como castigo, pode criar na criança uma resistência. Mas tem mta gente q usa esse termo e não teve problemas… Enfim… Apenas uma sugestão! Parabéns pelo texto!

  • Responder Izabela 19 de novembro de 2015 at 7:11 pm

    Adorei o texto a minha filha comecou essa faze agora com 2a11m e ta sendo dificil, tem vez que me da ate dezespeiro, mas espero que der tudo certo tb, uso o termo castigo tb.

  • Deixe um comentário