Navegando categorias

Para o bebê

Para o bebê

Vacina Contra a Meningite B, por Luisa Arnoud

Oi meninas! Hoje nossa colaboradora e médica Luisa Arnoud, do IG @wowmaes traz um tema que tem muitas dúvidas para nós pais: dar ou não a vacina de Meningite B para nossos pequenos. Quando Benjamin tinha 2 meses foi internado e a suspeira era de meningite. Vocês devem imaginar que só faltei morrer, né? Entrei em pânico, hospital lotado, crianças passando mal perto de mim, Benjamin chorando sem parar. Foi desespedador!!

O texto dela traz muitas informações sobre a vacina, vamos lá?

“Oi pais e mães! Diante das dúvidas recebidas sobre a vacina que protege contra a meningite tipo B, achei válido abordar mais sobre esse tema. Será que essa vacina vale a pena? Quais os benefícios? Quais as reações a criança pode apresentar? Quantas doses são necessárias? A vacina pode provocar a doença?image1

Vamos entender melhor e esclarecer essas e outras questões.

No Brasil, o meningococo B está em segundo lugar entre as causas de doença meningocócica invasiva, sendo responsável por 20% dos casos em todas as faixas etárias.

Segundo o médico pediatra Dr. Rodrigo Barroso, com a introdução da vacina meningocócica C na rotina de vacinação infantil, e conseqüente redução do número de casos causados pelo meningococo C, o meningococo B passou a representar, em menores de cinco anos, o principal agente etiológico da doença meningocócica.

Os sintomas são facilmente confundidos com os de uma virose. Os pais nunca devem subestimar os sinais e sintomas. Devem buscar auxílio médico, especialmente se houver febre alta.

O paciente pode ter febre, vômitos em jato, náusea, dor de cabeça, irritabilidade, cansaço, sonolência, choro e tensão na moleira. Pode depois de um tempo, apresentar manchas roxas ou manchas avermelhadas na pele (estas últimas chamadas petéquias), sensibilidade à luz e rigidez na nuca. E o tratamento não adequado pode levar à morte em poucas horas.

TRANSMISSÃO

Ocorre de pessoas para pessoa, por gotícula e secreções expelidas pelas vias respiratórias.

VACINA

A vacina meningocócica B recombinante possui quatro proteínas capsulares (antígenos) do meningococo B. É produzida por um tecnologia chamada vacinologia reversa. No Brasil, essa combinação de antígenos permite estimar uma cobertura de 80% dos meningococos B. Segundo o pediatra Renato Kfouri, vice-presidente da SBim (Sociedade Brasileira de Imunizações), é de extrema importância a criação da vacina contra meningite B, pois dentre as doenças que possuem prevenção atualmente, tais como hepatites, difteria ou o tétano, a meningite B é a mais letal.

PODE ADMINISTRAR A VACINA CONTRA O MENINGOCOCO B JUNTO COM OUTRAS VACINAS?

Pode ser administrada juntamente (embora em sítios separados) com as vacinas da difteria, tétano, coqueluche, Hib, pneumocócicas conjugadas, pólio, hepatite B, tríplice viral, tetra viral e varicela.

INDICAÇÃO

A vacina é indicada para indivíduos a partir de 2 meses de idade contra a doença invasiva causada por Neisseria meningitidis do grupo B. Está licenciada para indivíduos até 50 anos, é recomendada de forma rotineira para crianças e adolescentes.

CONTRAINDICAÇÕES

Indivíduos com fatores de risco, até 50 anos de idade, também devem ser imunizados.

Quadro febril agudo ou alergia grave a algum componente ou a dose anterior da vacina.

ADVERTÊNCIAS E PRECAUÇÕES

A administração deve ser adiada em caso de doença febril aguda grave.

Não estão disponíveis dados clínicos suficientes sobre a vacinação durante a gestação. No entanto, a vacinação deve ser considerada pelo médico da gestante se houver claro risco de exposição a infecção meningocócica, pois não há indícios de toxicidade materna ou fetal. O mesmo ocorre com a amamentação.

EFEITOS ADVERSOS

Febre alta pode ocorrer, principalmente em lactentes e crianças menores de dois anos de idade, com picos nas seis primeiras horas após a vacinação, regredindo em até 72 horas.

Reações adversas locais também podem ocorrer: dor, vermelhidão, calor e inchaço no local da injeção.

Nos estudos clínicos da vacina não foi observado aumento da incidência ou da gravidade das reações adversas com as doses de reforço.

VIA DE APLICAÇÃO: Intramuscular.

image1

A SBim sugere o seguinte esquema de doses para a rotina de vacinação contra a doença meningocócica

 3 meses: Meningocócica C conjugada e Meningocócica B;

 5 meses: Meningocócica C conjugada e Meningocócica B;

 7 meses: Meningocócica B;

 12 a 15 meses: Meningocócica conjugada ACWY e Meningocócica B.

Para adolescentes, o esquema recomendado é de duas doses com intervalo de 1 mês.

HÁ RISCO DE CONTRAIR A DOENÇA COM ESSA VACINA?

Não. Essa vacina não é feita com microrganismos vivos, apenas com partes ou fragmentos deles,capazes de desencadear a resposta imunológica com produção de anticorpos, mas não são capazes deprovocar a meningite B.

A vacinação deve ser iniciada o mais precocemente, visto o risco da doença no primeiro ano de vida. Lactentes, crianças e adolescentes ainda não vacinados, devem iniciar a vacinação meningocócica B assim que possível, respeitando-se o número de doses do esquema primário e os intervalos mínimos para cada faixa etária.

A vacina só está disponível em clínicas particulares, até o momento.

Fonte: Sociedade Brasileira de Imunizações (SBim).

Colaboração: Dr. Rodrigo Barroso, médico pediatra.

por Dra. Luísa Arnaud.”

Luisa Arnoud é medica, mãe da Bella e dona do blog wowmaes

Para o bebê

Otite, por Luisa Arnaud

Oi meninas! Hoje a Luisa do IG @wowmaes vem falar de uma doença que nos deixa super preocupada: OTITE. Chloe teve quando bem pequenininha e só faltei pirar na época.

“A otite é uma infecção do ouvido ou da orelha. Pode ser externa ou média.
otite
OTITE EXTERNA

O canal do ouvido, para proteção, tem uma angulação muito peculiar quando chega próximo da membrana do tímpano, facilitando a retenção da água nos indivíduos que tem o canal mais inclinado.

A otite externa, é muito comum no verão, quando o contato com a água é
frequente. Não a água de respingos no banho, mas da grande quantidade de água que penetra, com a pressão, quando as crianças começam a mergulhar. Por isso, é importante nas crianças predispostas a esta infecção, secar o ouvido após a natação. Isso pode ser feito com o secador de cabelo manual em temperatura morna, posicionado a uma distância adequada da orelha.

Outra forma de amenizar as causas da otite externa, é sempre que as crianças voltarem da piscina ou do mar, brinquem de pular com o ouvido virado para baixo. Faça dos dois lados, mas cuidado para não cair.

O médico otorrinolaringologista poderá prescrever fórmulas especiais para crianças que costumam se queixar de dor no ouvido quando em contato com a água.

A principal característica da otite externa é a dor. Não dá para encostar na orelha nem abrir a boca direito. O conduto auditivo fica inflamado e infeccionado. O tratamento da otite externa, usualmente é feito, com o uso de analgésicos e medicações para aliviar os sintomas.

OTITE MÉDIA

A otite média aguda é uma inflamação do ouvido ou orelha média, geralmente é causada pelas secreções da vias aéreas superiores que se acumularam ou infectaram. Estas secreções penetram na caixinha do ouvido médio pela tuba. O diagnóstico é feito pelo exame do ouvido. A membrana timpânica fica inflamada, dói muito e, em alguns casos, pode vir acompanhada de febre.

Nas crianças pequenas, devemos prestar a atenção na presença de choro ao ingerirem líquidos (sucção do leite materno, mamadeiras), nas alterações do hábito alimentar e na irritação.

Nas crianças a otite costuma ser precedida por uma gripe ou um resfriado. O grande problema das otites médias é que elas podem ser recorrentes. Isso significa que algumas crianças têm o que chamamos de otites de repetição.

Acabam de tratar uma otite e em uma próxima gripe já aparece outra otite. Quanto mais cedo ocorrer a primeira otite (abaixo dos seis meses), maior a possibilidade de recorrência.

As otites de repetição podem indicar quadros alérgicos ou de imunodeficiência.O tabagismo dos pais e as escolinhas com muitos alunos podem gerar essa situação. Berçários, creches e escolinhas com mais de dez alunos na sala são a maior fonte de contaminação microbiológica para uma criança não “praparada” imunologicamente para combater as infecções, em especial as menores de dois anos de idade.

Estes quadros são muito desconfortáveis e, se não for adequadamente tratado, pode causar alteração da audição. Por isso, é recomendado que o médico pediatra e o otorrinolaringologista, avaliem cada criança para decidir o que é melhor.

O tratamento das otites médias geralmente necessita de antibiótico sistêmico. Há crianças que tem uma secreção permanente dentro do ouvido médio. Elas podem estar infectadas, mas a secreção fica lá, atrapalhando a audição, dificultando a vibração natural do tímpano e esperando um agente infeccioso entrar para se contaminar e causar febre, desconforto e dor. Isto é o que chamamos de otite secretora. Alguns casos de otite média secretora precisam de procedimentos cirúrgicos que permitam a drenagem das secreções (“carretel”).

Quando a quantidade de secreção que se acumula no ouvido médio é muito grande, o tímpano fica pressionado e a dor é grande. A criança pode ter um episódio de forte dor no ouvido, com choro intenso. De repente, o tímpano fura, permitindo a saída de secreção que estava pressionando. A dor alivia, porque a pressão diminui, e a secreção que sai é o pus. Isso é o que chamamos de otite supurada.

O médico deve examinar para indicar o melhor tratamento. Nunca coloque nada no ouvido nem para fazer uma limpeza. Deixe a secreção sair sozinha.

As otites supuradas causam lesão ou “furo” na membrana timpânica. Isso prejudica temporariamente a audição, mas não significa deficiência auditiva a longo prazo. A membrana timpânica tem a incrível capacidade de se regenerar, sem deixar qualquer tipo de sequela. As crianças escutam normalmente todos os sons. Contudo, é preciso evitar que ocorram otites supuradas de repetição. O tímpano pode ficar lesionado e necessitar de tratamentos específicos se porventura “furar” repetidas vezes.”

Luísa é medica, mãe da Bella e blogueira do @wowmaes wowmaes

Maternidade, Para o bebê

Resgatando Brincadeiras antigas por Marcelo Fernandes

Oie! Hoje o post é com a participação do Marcelo @papaionline, que agora será nosso colunista mensal aqui no blog! Ele trará sempre temas diferentes e chamará os papais para participarem também. Quem não quer pais mais participativos, não é? Pois o Marcelo vem pra cá com esse intuito.

Hoje ele fala sobre resgatar as brincadeiras antigas que parece que deixamos de lado com a era do tablet, dvd´s e tudo o mais que existe de eletrônico.

“A paternidade me trouxe a oportunidade de reviver o universo infantil e aos poucos relembro coisas que fazia na minha infância, mas que normalmente não estão presente nos dias de hoje.

Vivemos na era digital, onde infelizmente nossos filhos ainda bebezinhos já são entretidos com celulares, tablets e televisões, pelo menos em casa está sendo  desta forma e confesso que me preocupa o que isso pode causar. Para amenizar esta dependência dos equipamentos eletrônicos, comecei a ´´ ressuscitar “ as brincadeiras que faziam parte da minha infância e aplicar no dia a dia com o Fefê e outras brincadeiras que ele ainda não tem idade para colocarmos em prática, mas que certamente brincaremos juntos em breve.

Dependendo da região, os nomes das brincadeiras podem varias, mas as brincadeiras antigas estão em todo lugar.

Abaixo, algumas brincadeiras que já estamos colocando em prática com nosso filho:

Cavalinho: Fefê monta nas costas do papai agachado no chão e andamos pela casa.

papaionline1Quem vê, pode achar um mico, mas não estou nem ai, o importante é ver a felicidade do meu pequeno. Ele adora e é a brincadeira que ele mais gosta!

Bicicleta humana: Fefê adora bike e quando falei para ele se queria brincar de
bicicleta, ele aceitou na hora. Deitamos no tapete da sala ou em cima da cama,colocamos pés com pés e pedalamos juntos, é muito gostoso.

papaionline2

Pega Pega: Corremos pela casa e o Fefê tenta me pegar e vice versa.

Esconde esconde: Fefê se esconde e o papai vai procurar. Ele já se escondeu na despensa, em baixo das roupas, atrás da cortina e também me escondo para ele me encontrar. É muito gostoso, façam isso em casa! As vezes me escondo e deixo ele alguns minutos me procurando e quando vejo que ele está cansado de procurar eu apareço e falo que ele me achou.

Balança viva: Mamãe e eu, pegamos o Fefê pelos pés e mãos e balançamos, depois jogamos na cama ou sofá, claro que com muito cuidado para não machucá-lo.

Precisam ver cada sorriso que conseguimos, ele se sente leve, com aquele ventinho no rosto.

Como mencionei acima, outras brincadeiras vieram a minha mente, mas o Fefê ainda não tem idade, mas vou compartilhar com vocês, pois podem ter filhos mais velhos e já interagirem com eles, como por exemplo: bolinha de gude, pipa, morto vivo, pular corda, queimada, sombra, vaca amarela, amarelinha, bobinho, estátua, taco e bater figurinhas.

Essas foram as brincadeiras que eu lembrei, e você lembra de alguma brincadeira de sua infância? qual a brincadeira que você mais gostava?

Vamos aproveitar cada minuto que temos com nossos filhos, independente de sua idade, pois o tempo passa rápido demais! Reviver as brincadeiras que fizeram parte de sua infância com seus filhos, fará tão bem a você quanto a eles. É um momento prazeroso que esquecemos por alguns instantes nosso problemas e com isto ficamos mais próximos dos nossos filhos.

Abraço.

Marcelo Fernandes
www.papaionline.com.br
Instagram: @papaionline; facebook.com/Papaionline; Twitter @onlinepapai”

Para o bebê

Protetor solar

Oi meninas, tudo bem? Vocês sabiam que protetor solar pode ser usado a partir dos seis meses de vida? Pois é, se seu bebezinho já tem seis meses e você nem sabia que poderia usar protetor, está na hora de correr para comprar um e já pensar na programação do fim de semana.

Mas vem cá, não pode ser o que uso não? Foi tão caro e está novinho…

Uma coisa importante ao falar de protetor solar infantil, é a composição do produto. Alguns protetores solares são físicos, conhecidos como bloqueadores, e normalmente sua composição é com óxido de zinco e dióxido de titânio. Esse tipo de fórmula é mais segura porque não penetram no organismo da criança, diferente do que acontece com os protetores químicos.

Aplique em todo o corpinho do bebê, sem esquecer das orelhinas, palma dos dos pés, pescoço e até da cabecinha, se ele tiver pouco cabelo. Reaplique a cada duas horas ou se o bebê entrar na água. Faça o teste antes de passar em todo o corpo do bebê! Passe um pouco de protetor no antebraço e espere uns vinte minutinhos. Se tiver alguma reação, corra na farmácia e compre outra marca! 🙂

Tenho usado dois protetores nas crianças que tenho gostado bastante e não deu alergia: Mustela e Coopertone.

Mustela:

Esse meu está ni design antigo, o novo é todo laranjinha, mas os componentes saõ os mesmos!rsrs

Diz o fabricante:

 

 

 

Para o bebê

Vídeo para Páscoa

Oi meninas! Hoje é mesversário do Benjamin e estou aqui lutando contra o tempo para fazer docinhos, bolo, decorar a mesa…mas no meio da correria lembrei de vocês e corri aqui para contar sobre uns desenhos que assisto muito com a Chloe e nunca havia contado. Não que eu não quisesse contar, mas sabe quando passa batido? Pois é! Ontem assisti com ela e como o tema do mesversário do Benjamin é Páscoa e o vídeo é dos coelhinhos, lembrei agora e vim correndo aqui antes que esqueça novamente!rsrs

Quem segue a fanpage e o IG viu que mandei fazer umas pegadas em adesivo em uma gráfica para esconder os ovinhos e a Chloe procurar com o Benjamin. Quem não viu, foi essa foto que mostrei:

IMG_5188

Já fica a ideia de fazer em casa e se não der tempo e tiver habilidade (eu não tenho) dá para fazer pegadas com talco, farinha de trigo, parta de dente branca ou mesmo borra de café, como se o coelhinho tiver entrado em casa com as patinhas sujas. Essas ideias foram as seguidoras fofas que falaram que iriam fazer. Os meus são adesivos, mas pode ser impresso em papel ofício e colocar um durex atrás. Essa ideia dá para fazer em casa mesmo, só dar um “google” e procurar patinhas de coelho e imprimir.

Ma vamos voltar ao vídeo?rsrsrs

É um desenho da Disney bem antigo, de uma linha (não sei se é linha, mas não tenho outra palavra para substituir) chamada “Sinfonia Ingênua” . São coelhinhos fabricando ovos de Páscoa a coisa mais fofa!rsrsrs Acho bem legal e como está chegando a hora das crianças ganharem seus ovos, fica a ideia de assistir com elas e entrar nesse mundo super lúdico.

Para procurar o vídeo no Youtube é só digitar “Coelhinhos engraçadinhos, mas vou compartilhar aqui :

Acho muito fofo e adoramos assistir., espero que gostem também1

Bjo e me liga

Maternidade, Para o bebê

Bolsas de maternidade

Oi meninas!! Todas quando estão fazendo o enxoval têm na lista a famosa “bolsa de maternidade”. A bolsa não serve somente para levar para a maternidade, lógico!! Até porque sairia muito caro só pra isso e a gente não pode gastar assim, não é?

A bolsa serve para viagens, saidinhas ao shopping, à medica, casa da vovó…você vai usar muito nos dois primeiros anos! Uma boa dia é uma bolsa que vem com trocador, pois nem todo local tem um espaço apropriado para trocar o bebê. O trocador já serve para proteger o bebê de onde você vai apoiá-lo e deixar o local mais macio ( muitas vezes tive que trocar em mesas duras e o trocador tem uma pequena camada de esponja).

Na gravidez da Chloe, ganhei da minha mãe uma bolsa da Kipling, já com trocador, bolsa de mamadeira e de chupeta (que nem sei cadê, pois ela nunca usou chupeta). Super útil, cabe mil coisas e já fez várias viagens.Bolsa-maternidade-azul-jeans-CAMAMA-Kipling-63278

Com o Benjamin, acabei não comprando nenhuma, pois a da Chloe era bege e quis aproveitar a mesma. Mas apesar dela ser super resistente, já estava meio sambadinha, sabe? Foi quando a Loja Sonho de Criança entrou na história! rsrsrs

Conheci a loja pelo instagram, a dona foi super atenciosa e acabei fazendo uma bolsa pra o Benjamin e outra  para a Chloe.

IMG_4607

A da Chloe quis pequena, pois é para ela levar ao ballet. É um pequena não tão pequena! Cabe a garrafinha de água, uma roupinha, os sapatos e mais um monte de coisinhas. Veio com uma bailarina linda pendurada e no bolso da frente posso colocar minhas coisas.

IMG_4608A do Benjamin é bem maior! Cabe uma infinidade de coisas e ela fará sua primeira viagem em breve!rsrs Como a Chloe está desfraldando e fica bem menos coisas para carregar, coloco umas coisinhas dela junto com a dele. A dele tem a vantagem do trocador, alça regulável removível e também vem com o bolso da frente separado para eu colocar minha carteira, celular, chaves…

IMG_4611  IMG_4610

 

Gostei bastante do material! É tipo um nylon brilhoso bem resistente e toda forrada com um plástico. Falei primeiro da Kipling, pois gosto do material dela e essa da Sonho de Criança achei o material até mais grosso! Gostei bastante!! Os preços variam de acordo com tamanho, bordado, chaveiros ( no caso, a boneca).

Sonho de Criança:

facebook.com/SonhodeCriancaslz

@sonhodecriancaslz

whats: (98)98137-3284/ (98)981613113

 

Para o bebê

Comer assistindo televisão. Pode?

Sabe aquele costume de comer assistindo televisão? A nossa nutricionista Thaís Abath vai falar sobre esse háito e o quanto isso pode afetar a criança futuramente.

"Não quer comer? Vou ligar a televisão!

Nananaaaninanão!!! Nada de televisão, celular, galinha pintadinha e todos os artefatos que podem ser utilizados para distrair a criançacomer+assistindo+TV na hora de comer. A criança precisa prestar atenção no que está comendo, mesmo se estiver dando birra para comer. Quando a criança ou o adulto come assistindo televisão ou fazendo alguma outra atividade, come mais do que deveria. A criança não presta atenção no que está comendo e apenas “enfia goela abaixo” o que está no prato. No início, você pode achar isso bom, afinal, está comendo. No futuro você achará isso péssimo. No futuro o seu filho pode apresentar uma doença muito conhecida – a obesidade – por conta desse tal hábito de comer assistindo televisão. Não acostume os seus pequenos a esse péssimo hábito que muitos adultos têm!

Ao invés de levar a criança para o sofá para comer, chame toda a família para a mesa e faça com que a refeição seja divertida naquele ambiente próprio para se comer."

Dra. Thaís Abath é nutricionista em Brasília/ DF

Maternidade, Para o bebê

Primeiro choro por uma boneca

Meninas, agora que está mais calmo posso contar o que aconteceu hoje. wpid-img1403743514279.jpg
Essa 1° baby alive é a preferida da Chloe. Ela dormia com outro ursinho, mas hoje só dorme com ela. Minha mãe, que está aqui em casa, levou a Chloe para a escola de manhã e mandou junto a boneca. Meu marido foi buscá-la e como não sabia que Chloe tinha levado A DITA CUJA não perguntou nada e a professora esqueceu de entregar. Quando Chloe foi dormir à tarde e não tinha a “neném” começou a chorar! Não foi um chorinho não, foi um choro DESESPERADOR!!! Nada a acalmava! Ninguém aqui em casa sabia o que fazer e no meu desespero desço para pegar o carro e ir buscar a boneca (nessa hora eu estava um misto de cansada,  doente e com raiva por ela ter levado essa boneca). Subi novamente, pois peguei a chave errada (por que isso acontece??) e minha mãe foi comigo para ir dirigindo.  Nessa hora Chloe se agarrou em mim e acabei levando-a. Ela ainda chorou um pouco no carro e adormeceu de tanto chorar. Sabe quando começa a soluçar (não é bem um soluço, é como se tomasse ar) dormindo? Pois é! Ela ficou assim dormindo toda sentida sem essa boneca!!! Nunca vi a Chloe chorar desse jeito em toda sua existência!!! Acho que foram uns 20 ou 30 minutos de choro (nesses momentos você não olha o relógio) que pareciam mais uma eternidade! Chegamos em casa, ela acordou e começou a chorar se lembrando. Como estava com a boneca nos braços acabou esquecendo do choro e foi se distraindo. Não dormiu mais nada depois (lógico!), mas se acalmou e parecia que nada tinha acontecido.
Para vocês terem ideia, minha mãe estava tão sem saber o que fazer na hora do choro que pegou a Bíblia para orar!!! #agoraeutorindo #nahoraeuestavacomraiva
Moral da história: nunca mande o brinquedo preferido do seu filho para a escola e esqueça de trazer!! E se você me disser que no meu lugar não iria atrás de buscar a boneca, respondo: eu doente e prestes a ter outro bebê, iria atrás de buscar essa boneca novamente só para não ver minha filha naquele estado de choro! #doiaindamaisnamae #naosaberoquefazerédesesperador

 

Maternidade, Para o bebê

Lembrancinhas de maternidade

Meninas, fiquei doente esses dias e acabei sumindo! Nem no IG e na fanpage dei sinal de fumaça! Rsrsrs Já é ruim ficar doente e no final da gestação então…. mas graças à Deus estou melhorando e hoje fiz com a minha mãe as lembrancinhas de maternidade. A verdade é que essas lembrancinhas quase não saem! Hahahaha Benjamin bem pertinho de nascer e nada deu ter decidido o que fazer pra ele.
Grávida de 7 meses da Chloe já tinha contratado uma loja de chocolates para fazer as lembrancinhas. Decidi tudo, paguei e na véspera do parto fui buscar e saiu tudo DIFERENTE do que eu queria!!! Comecei a chorar,  devolvi tudo, disseram que iam mudar e ainda erraram… enfim! Foi um estresse tão grande (fora o valor que foi bem caro) que dessa vez eu nem queria gastar o que gastei, como queria participar para não ter perigo de sair errado. O problema foi que fiquei sem dirigir, trabalhei até um dia desses e quando vi já estava com 37 semanas e nada de ter feito lembrancinha!!! Sorte que minha mãe chegou sábado aqui em casa e pude resolver a tempo!
Vou explicar para vocês como fiz!
Precisei de:
Fitas;
Varetas;
Frascos de aromatizador;
Aromatizador;
Cola universal;
Tesoura;
Funil;
Arte;

wpid-img1403628942994.jpg

Os vidrinhos, as varetas e o aromatizador você compra tudo em uma loja só! Fui ao centro aqui da cidade que moro e comprei tudo num loja de essência. Acredito que quase toda cidade tenha loja desse tipo. Se não tiver na sua cidade, você pode pedir pela internet que tem loja que vende e entrega em todo Brasil. Você vai encontrar todo tipo de frasco, inclusive uns de plástico mais em conta que também são bem bonitinhos. Eles também preparam para você o aromatizador para só colocar no frasco depois, mas você pode comprar separado e fazer em casa (só misturar 100ml de essência com o 900ml do veículo para aromatizador e pinga um tico de corante, se quiser). No meu caso já comprei pronto, mas já fiz várias vezes aromatizadores aqui pra casa. Se não tiver para vender na loja as varetas, compra no supermercado as varetas de bambu (são melhores) para churrasco que são ótimas! Sempre compro aqui pra casa esssas de bambu para usar nos aromatizadores.
O funil eu já tinha, mas encontra em supermercado ou em loja de 1,99. Importante ter um funil para não derramar o liquido e acabar perdendo muito.
Primeiro tem que encher todos os frascos para depois passar a fita e colar. Mesmo com funil, pode acontecer de derramar e se já estiver com a fita tem risco de manchá-la.
Depois amarrei um laço para ter onde pendurar as varetas e preguei a arte adesiva.

wpid-img1403628771533.jpg
Agora só falta o Benjamin nascer e as visitas aparecerem! Rsrs

wpid-img1403628848637.jpgFicou lindo, né? rsrs #mamaebabona

Para o bebê

É necessário criança ter rotina alimentar?

Hoje o post é com participação da Thaís Abath, nutricionista infantil, que explica melhor pra nós mamães sobre a importância da rotina alimentar para a criança.

foto tirada do google

foto tirada do google

“A criança precisa ter uma rotina alimentar também, igual os adultos. Nós precisamos comer de 3 em 3 horas, logo, as crianças também. Ao incentivar uma rotina alimentar desde a fase infantil, você está ajudando a prevenir doenças no futuro. Afinal, todos nós já estamos cansados de saber que o hábito alimentar se constrói na infância!

Fique por dentro das dicas:

  1. Ter horário fixo para o café da manhã, lanche da manhã, almoço, lanche da tarde, jantar e ceia.
  2. Colocar um intervalo de 2 a 3 horas entre as refeições para a criança ter fome e poder realizar a refeição seguinte.
  3. Sempre ofereça fruta no café da manhã e nos lanches, mesmo se a criança recusar.
  4. Crie um esquema alimentar com as refeições associados aos respectivos horários.
  5. Não troque uma refeição (almoço ou jantar) por guloseimas.
  6. Não oferecer bebida durante a refeição, pois o líquido distende o estômago e “ocupa” o espaço da comida. Dessa forma, a criança come menos!”

Dra. Thaís Abath

instagram @thaisabathnutricionista